GEORG WERNER ALERTA PARA OS IMPACTOS DA PESCA ILEGAL SOBRE OS DIREITOS HUMANOS | WWF
GEORG WERNER ALERTA PARA OS IMPACTOS DA PESCA ILEGAL SOBRE OS DIREITOS HUMANOS

Posted on 29 November 2018

28 de Novembro de 2018 – Ainda no rescaldo da celebração do Dia Mundial das Pescas, que ocorreu no passado dia 21 de Novembro, a ANP|WWF traz a Portugal Georg Werner, um ambientalista da Environmental Justice Foundation (EJF) para participar no Seminário “Controlo e monitorização: novos desafios e oportunidades para a pesca sustentável”, promovido pela PONG-Pesca e pela DGRM, que terá lugar amanhã, pelas 9.30h, no auditório da DGRM, em Paço de Arcos.
Ainda no rescaldo da celebração do Dia Mundial das Pescas, que ocorreu no passado dia 21 de Novembro, a ANP|WWF traz a Portugal Georg Werner, um ambientalista da Environmental Justice Foundation (EJF) para participar no Seminário “Controlo e monitorização: novos desafios e oportunidades para a pesca sustentável”, promovido pela PONG-Pesca e pela DGRM, que terá lugar amanhã, pelas 9.30h, no auditório da DGRM, em Paço de Arcos.
Numa altura em que o regulamento comunitário de controlo está a ser revisto, Georg Werner, da EJF – uma ONG internacional que trabalha com a WWF no projeto Fish Forward 2, um projeto pan-europeu de sensibilização para os impactos sociais e ambientais do consumo de pescado – afirma que é ‘cada vez mais importante chamar a atenção das empresas, autoridades e consumidores, para os impactos da pesca ilegal e do consumo não sustentável de pescado nos países em desenvolvimento e sobre os direitos humanos’.
O especialista apresenta amanha o problema da captura ilegal de produtos da pesca para as cadeias de abastecimento das empresas, os efeitos e riscos negativos da pesca ilegal que, frequentemente, está associada a outros problemas como as más condições de trabalho nos navios e abusos dos direitos humanos. A questão da transparência como um meio para combater a pesca ilegal e as ferramentas para as empresas garantirem a melhor origem dos seus produtos de pescado, para que sejam legais, sustentáveis ​​e éticos são outros dos tópicos principais da sua comunicação.
Nova Campanha FishForward 2 aponta o risco da pesca excessiva
Sob o mote ‘Em breve esta espécie terá desaparecido!....E o peixe também!’- a nova campanha do projeto pan-europeu Fish Forward 2 assenta numa mensagem provocadora que chama a atenção dos consumidores, em geral, para a questão da escolha não responsável de pescado ter um impacto negativo sobre a vida de milhões de pessoas e sobre os peixes e oceanos. A campanha aponta o risco de pesca excessiva, que ameaça a vida e a segurança alimentar de milhões de pessoas em todo o mundo pescadores e mulheres, processadores, embaladores, transportadores, que dependem diretamente do peixe como fonte de alimentação. Ao contrário, opções responsáveis de consumo de pescado têm impactos positivos para o ambiente e para a vida humana.
O projecto FishForward foca-se na questão da sobrepesca e das alterações climáticas como as maiores ameaças para o pescado e para os oceanos.
Atualmente, 33 por cento das populações de pescado estão sobrepescadas, 60 por cento estão na sua capacidade máxima. Ao mesmo tempo, milhões de pessoas dependem do peixe como fonte essencial de proteína. Para a organização de conservação global “oceanos superexplorados colocam a segurança alimentar mundial em risco, assim como a subsistência de 800 milhões de pessoas. A maioria destas pessoas vive em países em desenvolvimento.“
Com  a questão do aumento da fome global na ordem do dia, o peixe assume uma importância única como fonte de alimento nutritivo e de proteína de alta qualidade para muitos países em desenvolvimento. ‘A crescente tendência de sobrepesca das populações globais de pescado precisa ser urgentemente interrompida’. A tendência é especialmente preocupante, pois espera-se que as alterações climáticas alterem a produtividade das pescarias, levando a que exista menos peixe a nível global. “Em tempos de mudança climática, face a uma crescente procura por produtos do mar, é absolutamente necessária uma mudança’, afirma Angela Morgado da ANP|WWF.
 
A Europa é o maior mercado de pescado do mundo. Atualmente, 60% do pescado consumido em países europeus é importado, com mais de metade destes provenientes de países em desenvolvimento. Por isso, Angela Morgado adverte: “A Europa pode ser um grande impulsionador de mudanças na indústria global de pescado. Uma escolha sustentável de produtos do mar faz uma diferença real para milhões de pessoas dependentes de peixe”.
A ANP|WWF apela ainda aos consumidores, retalhistas e decisores políticos na UE e nos seus Estados-Membros, enquanto intervenientes globais, a desempenharem um papel de liderança na garantia de uma pesca sustentável a nível mundial.
 
Fisheries are on the decline in Madagascar and around the world.
© James Morgan / WWF